Psoríase

psoríase

O que é?

Psoríase é uma doença relativamente comum, crônica e muito importante salientar não pega, ou seja, não é contagiosa. Pode encostar em qualquer pessoa com psoríase que você não irá pegar a doença. Sabe-se que o que ocorre é uma interação do sistema imunológico individual, com o meio ambiente e com hábitos de vida e a suscetibilidade genética. Não tem uma causa definida claramente, mas é uma doença inflamatória que afeta os linfócitos as células de defesas que liberam substâncias que causam proliferação de vasos e inflamação. Pode afetar todo corpo, pele, unhas, couro cabeludo, inclusive articulações.

Sintomas

Existem diversos sintomas e formas de apresentação de psoríase. Em geral a coceira e pele ressecada estão presentes em quase todas as formas de psoríase. Podem surgir manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas (essa é a apresentação mais comum) pele vermelha e com descamações.

A psoríase pode se apresentar com pequenas manchas brancas ou escuras residuais pós-lesões, ou seja, teve uma lesão vermelha que ao melhorar irá deixar uma mancha branca (mais clara que a pele normal) ou mais escura.

Outra forma comum de apresentação da psoríase é de pele ressecada e rachada. Às vezes, com sangramento.

Os sintomas mais comuns e presentes em quase todas as formas de psoríase são: coceira, queimação e dor. Quando a psoríase afeta as unhas essas ficam grossas, sulcadas, descoladas e com depressões puntiformes (como se fossem furinhos bem pequenos nas unhas deixando-as grossas e ásperas).

A psoríase pode afetar as articulações causando inchaço e rigidez. Existem algumas formas de apresentação de psoríase que tecnicamente dividimos em: psoríase vulgar ou em placas (a forma mais comum de apresentação), psoríase gutata (mais comum em crianças e adultos até 30 anos após uma infecção bacteriana, como uma infeção de garganta por exemplo), psoríase ungueal (pode afetar pele e unha ou apena s as unhas), psoríase invertida (acometendo as áreas de dobras como virilhas, axilas, abaixo das mamas e áreas genitais), psoríase eritrodérmica ( a mais rara e que pode afetar a pele do corpo todo, com manchas vermelhas e pode ter outras manifestações como febre, mal estar.

Pode ser desencadeada por queimaduras ou medicamentos ou outras doenças mais graves ou até parada abrupta do uso de remédios como os corticosteróides), psoríase pustulosa (apresenta-se com pele vermelha e bolhas de pus pelo corpo, surgem abruptamente e em dois dias podem regredir e pode associar febre, calafrios e mal-estar), psoríase artropática (psoríase que afeta as articulações causa do dor e inchaço além de descamação e pode associar com apresentação de qualquer forma de psoríase na pele e unha).

Causas

Não sabemos porque a psoríase ocorre, mas sabemos que existe uma interação do sistema imunológico individual, com o meio ambiente e com hábitos de vida e a predisposição genética.

Alguns fatores podem piorar o quadro de psoríase ou aumentar a chance de a pessoa desenvolver psoríase, são eles:

  • 30% e 40% dos pacientes que têm psoríase têm algum familiar com a doença;
  • Estresse – alto nível de estres se debilita o sistema imunológico e assim pode predispor psoríase;
  • Obesidade – obesidade é um fator de risco para divers as doenças. O excesso de peso pode aumentar o risco de desenvolver um tipo de psoríase, a invertida, mais comum em indivíduos negros e HIV positivos;
  • Tempo frio – pois a pele fica mais ressecada no frio o que pode piorar a coceira e descamação;
  • A psoríase tende a melhorar com a exposição solar, apenas 5% dos pacientes podem piorar com a exposição solar;
  • Consumo de bebidas alcoólicas pode piorar o quadro clínico da psoríase;
  • Tabagismo: o cigarro não só aumenta as chances de desenvolver a doença, como também a gravidade da mesma quando se manifesta.

Como evitar

Hábitos de vida são a chave para se evitar qualquer doença. Ser feliz, ser grato pelo que se tem e pelo que se é, alimentar -se de forma saudável, evitar/ reduzir o consumo de açúcar, de óleos vegetais, de farinha de trigo, de leite e de alimentos industrializados e a prática de exercício s podem silenciar os genes que poderão desencadear a psoríase. O controle emocional do stress também é uma forma de se evitar o surgimento ou o agravamento da psoríase.

A prática da meditação é uma dica. Existem diversos trabalhos científico s dizendo que quem tem fé tem menor chance de ter hipertensão arterial.

Tratamento

Como pode perceber é uma doença que pode se apresentar de diversas formas e tem vários estágios. Dependendo do estágio será realizado o tratamento. Hoje já é possível o tratamento para que o indivíduo fique sem qualquer lesão na pele. A exposição solar é uma ótima opção em 95% dos pacientes com psoríase. Existem tratamentos tópicos, sendo que a hidratação devido a pele seca que acontece na psoríase é a grande dica. Além de cremes e pomadas, poderá usar medicamentos por via oral oi injetáveis, irá depender do diagnóstico e fase de apresentação da psoríase. Existem os tratamentos com imunobiológicos, que são medicação que irão agir diretamente nos linfócitos e nas substâncias específicas que os linfócitos produzem na doença causando os sintomas de dor, ardor, vermelhidão, descamação. Pode-se usar ainda exposição à radiação ultravioleta em cabines controladas por profissionais habilitados e associar ainda a essa exposição (fototerapia com UVA ou UVB ou ainda narrow band) medicamentos fotossensibilizantes, para deixar o tratamento ainda mais efetivo. O melhor tratamento é aquele que surgiu de um diagnóstico correto é que pode perceber dentro do arsenal técnico e medicamentoso existente aquele que melhor se encaixa no caso clínico e perfil metabólico e condições físicas e psíquicas individuais.

ENTRE EM CONTATO